Planeje os Estudos de Acordo com a Organizadora do Concurso

 Os candidatos a uma vaga no setor público devem, além de estudar as disciplinas previstas no edital, saber o estilo de prova de cada banca organizadora.


 G1 consultou especialistas da área para falar sobre cinco das principais organizadoras do país, que são responsáveis por concursos que envolvem grande número de concorrentes. Para eles, é fundamental que os candidatos façam provas anteriores para justamente se adaptar aos diferentes tipos de exames. 
“Se o candidato analisa a prova antes de iniciar o estudo das matérias básicas, já direciona o estudo para aquela banca, já sabendo se as questões são mais teóricas ou objetivas, se interpretação conta mais que conhecimentos de gramática, se as questões são mais longas ou mais curtas”, diz Fábio Gonçalves, diretor executivo do curso preparatório Academia do Concurso.


Segundo ele, o Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (Cespe/UnB) é a banca que mais se difere das demais, pois é a única que aplica provas com questões no formato certo e errado, e não de múltipla escolha (veja mais detalhes na tabela abaixo). 
“Esse modelo é excelente para o aluno que vem se preparando com antecedência, pois o Cespe/UnB traz questões multidisciplinares, envolvendo várias matérias na mesma pergunta.”


Gonçalves orienta o candidato a estudar, independente da banca, de forma multidisciplinar. “Muitos alunos preferem estudar todo o conteúdo de determinada matéria e depois entrar em uma segunda disciplina. O que ocorre é que quando chega na terceira disciplina já esqueceu a primeira. O ideal é estudar uma matéria por dia.”
Veja as diferenças entre cinco das principais organizadoras do país:
Organizadora Tipo de prova Grau de dificuldade Orientação de estudos Orientação para resolução da prova
Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (Cespe/UnB) Questões do tipo certo ou errado. Cada opção poderá estar certa ou errada, independente uma do outra. Cada item que o candidato errar anula um que acertou. Porém, as questões que não forem respondidas não serão computadas. Os itens não vêm separados por matéria. Assim, para um mesmo texto dado pode-se fazer perguntas de português, matemática, atualidades ou informática, por exemplo.   Predominam questões com grau de dificuldade média, apesar de também apresentar questões fáceis e difíceis. Como é um tipo de prova incomum, é  importante que o candidato resolva questões de concursos anteriores realizados pelo Cespe. Suas questões costumam abordar apenas alguns tópicos do conteúdo programático, assim, inicie seus estudos pelos tópicos principais. Como a prova não é organizada por disciplina, o candidato deve resolver inicialmente as questões mais fáceis na ordem que aparecer. Como as questões erradas prejudicam a pontuação do candidato, deve-se evitar os chutes ao máximo.
Escola de Administração Fazendária (Esaf) Geralmente, questões do tipo múltipla escolha. Predominam questões com grau de dificuldade média e difícil. Como realiza muitos concursos, as questões de matérias básicas são muito parecidas umas com as outras. Assim, convém estudar questões de provas anteriores de matérias básicas como português, informática, raciocínio lógico, direito constitucional e matemática. Quando estudar matérias específicas, dê preferência aos assuntos mais importantes. A prova é elaborada de maneira que, mesmo os candidatos bem preparados dificilmente conseguem resolver todas as questões, pois falta tempo. Assim, o candidato deve inicialmente resolver as questões mais fáceis de todas as matérias, e não de uma única matéria. Deve estar consciente que encontrará questões difíceis e trabalhosas que deverão ser resolvidas no final, se houver tempo.
Fundação Carlos Chagas (FCC) Geralmente, questões de múltipla escolha. Predominam questões com grau de dificuldade média e difícil. Em suas provas, a FCC procura perguntar sobre todo o conteúdo programático do concurso. Assim, é interessante estudar todo o programa do concurso e não somente os tópicos principais. Também é importante resolver as questões dos concursos anteriores. Como em suas provas as questões vêm organizadas por disciplina, inicie resolvendo as questões mais fáceis das disciplinas e que tiver mais facilidade e, a seguir, as questões mais fáceis das demais disciplinas. Só então resolva as questões mais difíceis e trabalhosas.
Fundação Cesgranrio Geralmente, questões do tipo múltipla escolha. Predominam questões com grau de dificuldade média, apesar de também apresentar questões fáceis e difíceis. Como realiza muitos concursos, as questões de matérias básicas são parecidas com as de outros concursos. Quando estudar matérias específicas, dê preferência aos assuntos mais importantes. Como em suas provas as questões vêm organizadas por disciplina, inicie resolvendo as questões mais fáceis das disciplinas e que tiver mais facilidade e, a seguir, as questões mais fáceis das demais disciplinas. Só então resolvas as questões mais difíceis e trabalhosas.
Fundação Vunesp Geralmente, questões do tipo múltipla escolha. Predominam questões com grau de dificuldade média, apesar de também apresentar questões fáceis e difíceis. Em suas provas, a Vunesp procura perguntar sobre todo o conteúdo programático do concurso. Assim, é interessante estudar todo o programa do concurso e não somente os tópicos principais. Também é importante resolver as questões dos concursos anteriores. Como em suas provas as questões vêm organizadas por disciplina, inicie resolvendo as questões mais fáceis das disciplinas e que tiver mais facilidade e, a seguir, as questões mais fáceis das demais disciplinas. Só então resolvas as questões mais difíceis e trabalhosas.
Fonte: Carlos Alberto De Lucca, coordenador geral do curso preparatório Siga Concursos
Para José Wilson Granjeiro, diretor financeiro-pedagógico do curso preparatório OBCursos, a grande dificuldade nas provas no Cespe/UnB é que os textos das questões e das respostas são longos, e o candidato pode não conseguir terminar a prova a tempo. “Tem que estar bem treinado, responder as que sabe rapidamente e, se tiver dúvida, pular a questão.”
Acertos mínimos
Gonçalves destaca que os candidatos devem prestar atenção no mínimo de acertos exigidos para cada prova. “Uma das grandes características da Esaf (Escola de Administração Fazendária) é pedir um mínimo de acertos por disciplina. No último concurso para auditor fiscal da Receita Federal, por exemplo, a Esaf exigiu mínimo de acerto de 40% por disciplina”, diz Gonçalves.


Segundo ele, no caso da Cesgranrio, foi exigido mínimo de acerto de 60% por grupos de matérias (disciplinas que têm conteúdo em comum, como os diferentes tipos de direito, por exemplo) no concurso da Petrobras realizado no ano passado. “Mas a prova apresentou textos relativamente curtos e com questões bem objetivas”, diz Gonçalves.


De acordo com Granjeiro, a Cesgranrio costuma extrair textos de revistas para os enunciados, e os textos para interpretação são longos. Além disso, as questões de raciocínio lógico e matemática costumam ser trabalhosas.


No caso da Esaf, segundo Granjeiro, o candidato pode encontrar maior dificuldade na prova de português, pois os textos e as alternativas costumam ser extensos.


Ele diz que nas provas da Fundação Carlos Chagas, os enunciados das questões costumam ser longos, mas as alternativas são diretas.
Reportagem exibida no G1 em 22 de março de 2009.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

%d blogueiros gostam disto: